Crescimento

Vitória e Vila Velha são destaques em vendas e batem recordes de valorização

11.01.2022

Os municípios de Vitória e Vila Velha estão entre as 47 cidades que apresentaram aumento no preço de vendas de imóveis residenciais

Segundo o FipeZap, que acompanha o comportamento do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades brasileiras, encerrou 2021 com alta acumulada de 5,29%, o maior avanço desde 2014, período em que os valores dos imóveis residenciais tiveram valorização de 6,70%.

Vila Velha foi a quarta cidade com maior valorização do índice, com 2,36%, atrás apenas de Balneário Camboriú (2,94%), São José (2,70%) e São José dos Campos (2,55%). Já Vitória foi, dentre as capitais, a quinta com maior valorização, em 1,10%, atrás apenas de Maceió (2,17%), Florianópolis (1,56%), Curitiba (1,25%) e Goiânia (1,13%).

As duas cidades do estado também apresentaram alta superior à inflação acumulada no ano, Vila Velha teve 20,24% e Vitória 19,86%, sendo que a capital foi a primeira entre as capitais observadas.

Segundo 37º Censo Imobiliário do Sinduscon-ES, estão em construção na Grande Vitória 14.065 unidades, sendo 2.549 em Vitória e 7.287 em Vila Velha. 60,7% das unidades em construção já tinham sido vendidas ainda em 2021. O município de Vila Velha é o que mais tem o percentual de vendas, 70,6% de total em construção.

O ano de 2021 também foi favorável para a abertura de novas vagas de trabalho na construção civil. De acordo com o novo Caged, Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do governo federal, o Espírito Santo fechou o mês de novembro com 52.357 trabalhadores com carteira assinada no setor.

O saldo positivo registrado em 2021 no estado foi de 5.501 vagas. Já no Brasil, são 245.939 trabalhadores na indústria da construção.

Comentários